28 de mai de 2015

ERVAS CURATIVAS: JATOBÁ


Árvore Brasileira: Jatobá

De nome científico Hymenaea L – conhecida ainda no meio como Fabaceae – Caesalpinioideae, o jatobá é uma das árvores brasileiras mais conhecidas no meio popular. A árvore ainda recebe uma diversidade de nomenclaturas como jataí, jutaí e pão-de-ló-de-mico, e sua ocorrência se dá em toda a América Latina, embora suas origens estejam no centro de diversidade da Floresta Amazônica. Segundo os estudos realizados, a origem do nome “jatobá” vem do tupi yata’wá – que faz referência ao pó que está presente no interior do fruto produzido pelo jatobá, o qual se assemelha muito ao pão de ló que é largamente consumido pelos micos, o que também explica o nome popular “pão- de- ló –de- mico”.

O jatobá é uma árvore de grande porte que, tradicionalmente pode alcançar mais de 30 metros de altura. Há registros, na Amazônia, de que haja exemplares com mais de 95 metros de altura. Por isso, é fato que um tronco de jatobá possa alcançar cerca de meio metro de diâmetro. A mesma magnitude pode ser observada em suas folhas que, com dois folíolos brilhantes, podem chegar aos 14 centímetros de comprimento. Um exemplar famoso na Amazônia, classificado pelos biólogos como “árvore de Matius”, por ter sido encontrada por este pesquisador, foi mensurada com uma altura de 40 metros, mas diâmetro de tronco de mais de três metros. Não é à toa, portanto, que o jatobá seja tido como uma das árvores brasileiras mais espetaculares que se tem conhecimento.

O jatobá é largamente conhecido não apenas por suas impressionantes medidas. Trata-se de uma árvore que produz madeira de lei – madeira de excelência e rara – que é utilizada na construção civil, na fabricação de itens esportivos, antigamente era usada pela indústria moveleira (hoje, móveis de jatobá somente em locais que comercializam peças de antiquário), e peças decorativas de luxo. A madeira do jatobá está entre as dez mais valiosas do mundo, daí a vasta exploração que a árvore sofreu durante séculos a fio.

A árvore ainda produz um fruto considerado “místico” pelos povos da floresta, que parecem ter a sua sabedoria comprovada. O fruto do jatobá é uma vagem que produz uma polpa amarelada, a qual reveste e protege duas sementes existentes no interior. Costumeiramente, esta é transformada em farinha e utilizada na fabricação de pães e doces. A farinha também é indicada no tratamento de doenças como anemias crônicas.

Da casca do jatobá, ainda é possível produzir um chá cujas propriedades, segundo os seringueiros da mata, dizem ter poderes estimulantes e fortificantes.

Infelizmente, por conta do desmatamento e da exploração e comercialização clandestina ilegal de madeira, o jatobá figura entre o grupo de árvores brasileiras que estão em risco de extinção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário