16 de set de 2015

ERVAS CURATIVAS: BARBATIMÃO


  • Nome: Barbatimão
Nome cientifico: Stryphnodendron barbatiman
Nomes populares : Paricana , ibatimô , ubatimô , barba de timan , Mimosa barba de timan , angico monjolo , casca da virgindade , verna.
Farmacologia : Casca abundantíssima  em estrifno, sendo conhecida no Brasil como um famoso remédio estíptico e corroborante.
Sua riqueza de taninos justifica a sua ação estíptica enérgica.
Parte usada : Casca ou entrecasca do tronco
Origem : Árvore nativa em vários estados do Brasil, desde o Amapá até o Paraná, muito frequente nos cerrados.
Aspectos históricos :
O nome deriva do termo indígena “ Iba Timó” (árvore que aperta).
Usos :
Fitoterápico :
-Adstringente, antisséptica, adstringente das gengivas, tratamento de ferimentos
-Feridas e úlceras externas
-Úlceras do estômago e duodeno, gastrite
-Hemorragias ( uterinas, intestinais, hemoptises, etc ), diarréias e disenterias , blenorragia, afecções escorbúticas
-Debilidade orgânica geral
-Hemorróidas
-Asma, bronquite asmática ( sob forma de tintura )
-Gonorréia ,leucorréia, corrimento vaginal (lavagens vaginais), infecções uterinas
-Inflamação da garganta
-Oftalmias
Cosmético :
-Fabricação de sabão (cinzas)
-Pele oleosa
OBS : Por cocção produz matéria corante vermelha, empregada  artesanalmente para tingir algodão pelos tecelões regionais.
É uma forrageira importante na dieta bovina do pantanal (Pott,1988).
Há indícios de que as sementes sejam tóxicas e na época da floração intensa parece causar mortes em larvas de abelhas.
Da cinza da madeira extrai-se a dicoada, uma substância escura que substitui a soda cáustica na fábrica de sabão caseiro.(CERRADO;Almeida,Proença…).
É muito adstringente e empregada em banhos.
Em doses maciças tem propriedades tônicas. É muito comum as mulheres indígenas fazerem banho de assento com o chá da casca de barbatimão, para combater infecções e corrimentos vaginais, evitar doenças venéreas e ainda, muitas usam para constrição vaginal, por isso é também conhecida como casca da virgindade.
O creme básico feito com extrato da casca de barbatimão, é eficaz como cicatrizante de feridas ou úlceras, comprovado pelo pesquisador farmacêutico Dr. João Carlos Polazzo de Mello, com pesquisas realizadas na Universidade Estadual de Maringá – Paraná. Ele comprovou em animais de laboratório, os efeitos cicatrizantes do barbatimão, que considerou superior ao nebacetim, o mais conhecido cicatrizante das farmácias.
Foi comprovado ainda, que o extrato foi bastante eficaz contra as bactérias Staphilococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa, dois micróbios comuns em infecções hospitalares. Há também testes realizados por pesquisadores de Pernambuco, que indicam que a planta tem ação contra tumores.
Na medicina popular emprega-se ainda como depurativo, hipoglicemiante e como tônico, nas anemias.
As cascas das Mimosóideas taninosas  utilizam-se na curtimenta de peles.
Doses utilizadas:
Geral: Decocção : ferver 20g da casca em 1L de água (4 a 5 xícaras/dia ).
Uso externo ( Feridas e úlceras externas ) : cascas reduzidas a pó e aplicadas no local ; ou decocção das cascas para uso sob a forma de banhos.
Uso interno:
-Chá por decocção, dosagem bem leve (1 xícara /dia), em casos de úlcera do estômago e duodeno.
-Chá por decocção, dosagem normal(3 a 5 xícaras /dia),para os demais casos.
-Tintura, tomada pela manhã, diluída em um pouco de água, alternando-se com a tintura de carqueja à noite – para casos de asma, bronquite asmática. ( OBS: Quanto mais crônica for a asma, tanto mais prolongado deverá ser o uso alternado dessas duas tinturas, que poderá se estender por 2 a 12
meses,ou até mais, quando necessário.
Inflamação da garganta, corrimento vaginal, diarréias, hemorragias:
coloque 2 colheres (sopa) de casca picada em 1 xícara (chá ) de álcool de cereais a 50%. Deixe em maceração por 3 dias e coe em tecido fino. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, de 2 a 3 vezes ao dia.
Feridas ulceradas:
coloque 1 colher (sopa) de casca picada e 2 folhas fatiadas de confrei em 1/2 litro de água em fervura. Desligue o fogo, espere esfriar e coe. Aplique na ferida, com um chumaço de algodão 2 vezes ao dia.
Corrimento vaginal: coloque 2 colheres (sopa) de casca picada em 1/2 litro de água fervente. Espere amornar, coe e acrescente 1 colher (sopa) de vinagre branco ou suco de limão. Faça banhos locais, de 1 a 3 vezes ao dia, até que o sintoma desapareça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário