17 de set de 2015

ERVAS CURATIVAS: CAPUCHINHA


  • Nome: Capuchinha
Nome cientifico: Tropaeolum majus
Nome Popular: Capuchinha de flores grandes, capucina, chagas, cinco chagas, mastruço do Peru, flor de sangue, agrião do México, agirão grande do Peru, agrião maior da Índia, capuchinha grande.
Características: É planta trepadeira anual decorativa. Tem folhas verde-brilhantes, e flores roxas, alaranjadas, amarelas e vermelhas. Procedente do Peru, foi introduzida na Europa no século XVI. Chamada também de sapatinho-do-diabo, chagueira, chagas e flor-de-chagas.
Indicações e Usos: Por ter ação antiescorbútica, anti-séptica e tônica do sangue e dos órgãos digestivos, ela pode ser usada nas depressões nervosas, estafas e limpezas de pele e dos olhos. Em geral, atua positivamente em problemas de pele e cabelo: psoríase, espinhas, queda de cabelo, entre outros. Diurética, esta herbácea pode ser eficaz no tratamento de infecções urinárias. Age também como descongestionante das vias respiratórias. Pode ser utilizada na forma de chás e tinturas. Seus frutos, quando secos e reduzidos a pó, são um bom purgante. Em saladas, as folhas, flores e botões florais da capuchinha, ricas em vitamina C, fazem deliciosas combinações com folhas verdes.
Além das propriedades medicinais e da possibilidade de uso na culinária, a capuchinha pode ser usada em paisagismo.
Origem: Peru e México. Foi levada à Europa pelos descobridores.
Aspectos Históricos: Os indígenas das montanhas peruanas há séculos já conheciam e utilizavam as propriedades medicinais dessa planta.
Uso:
Fitoterápico:
Tem ação: purgativa, aperiente, tônica, depurativa, antibiótica, antiescorbútica, estimulante, digestiva, expectorante.
É indicada:
– escrofulose;
– afecções da pele;
– escorbuto;
– afecções pulmonares;
– fortalecedor do couro cabeludo;
– previne a queda de cabelos.
Farmacologia: A presença do composto sulfurado explica o sabor picante do enxofre. O uso das folhas e flores cruas abre o apetite e favorece a digestão, além de ter propriedades antiescorbúticas.
Nas folhas, flores e frutos, encontram-se substâncias anti-microbianas que agem como poderosos antibióticos e bacteriostáticos, atuando sobre infecções das vias urinárias, cistites, nefrites, feridas e úlceras. Além de excelente cicatrizante, regenera e suaviza a pele seca, estimula o crescimento dos cabelos, fazendo-os crescer. É a planta mais utilizada para este fim. Outras vantagens na utilização desta planta, é que a flora intestinal não provoca sensibilidades nem reações alérgicas. Por seu teor de vitamina C, é considerada revigoraste e tonificante, afrodisíaca, bem como reguladora dos ciclos menstruais, auxiliando a circulação sangüínea e coronária.
Modo de usar:
Uso interno
Suco fresco: expectorante e calmante da tosse.
Infusão: 4 colheres de sopa de folhas picadas ou 2 de sementes em 1 litro de água. Tomar 3 a 4 xícaras ao dia. Em uso
Suco (para uso geral): bater num liquidificador, 5 g das folhas num copo de água. Tomar 1 colher de sopa de suco de folhas de capuchinha de 2 em 2 horas. Por decocção: 40 a 50 g de sementes. Ferver por aproximadamente 1/2 hora, num litro de água. Coar e beber 4 ou 5 xícaras por dia.
Uso externo para queda de cabelos: l0 g de capuchinha, 10 g de bardana. Amasse-os e deixe em 100 ml de álcool de cereais, deixando em maceração durante 7 dias. Coar e usar nos cabelos massageando o couro cabeludo.


    Outros usos: na ornamentação e alimentação (saladas e frutos em conserva). As flores, folhas e os frutos são comestíveis. Os botões florais sob forma de picles, substituem a alcaparra.

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário